Categories
Uncategorized

Coronel Ferreira da Silva acerca da rede bombista

Ferreira da Silva era um investigador da rede bombista da PJ durante o período quente. Mota Freitas era comandante da PSP do Porto.

Veja até que ponto eu era ingénuo: quando comecei as investigações sobre a rede bombista, o Mota Freitas foi uma das pessoas a quem fui pedir ajuda. E ele disse-me logo que daria toda a colaboração de que precisasse. Afinal, era ele que estava por detrás daquilo tudo! Estou convencido de que até o Pires Veloso sabia de tudo. E apadrinhava. O que me fez confusão, e nunca tive resposta para isso, foi o facto de só depois de 25 de novembro de 1975 terem explodido as bombas mais violentas. A única versão que tenho é a do Ramiro, que diz que era preciso haver confusão e que eles queriam tomar o poder. A ideia era instaurar um regime de extrema-direita e acabou-se. Se conseguissem, não ameaçavam, como fez o Otelo: matavam primeiro e ameaçavam a seguir. O grande mal foi o Otelo não fazer aquilo que devia ter feito, que era pô-los no Campo Pequeno. Já não apareciam aí esses bandidos que nos têm levado à falência. O que temos hoje nem sequer é direita. São gatunos profissionais.

https://visao.sapo.pt/atualidade/sociedade/2019-12-13-ferreira-da-silva-o-adeus-do-militar-que-prendeu-a-extrema-direita-bombista/

Posto isto porque há certas forças que estão a criar um revisionismo histórico, com certeza verão no dia 25 novembro tópicos aqui de certas forças política a falar que salvaram a liberdade, mas não passam de mentiras, noutra parte da entrevista ele diz inclusive que o propósito de muitas das bombas era criar confusão para continuarem com o tráfico de droga e armas. Não havia qualquer interesse na democracia, isto é o que a direita vende hoje porque perderam, acusando os comunistas de fazerem o que eles próprios fizeram.

Como costume foi tudo por dinheiro, não por ideais democráticos.

Faço um apelo a que procurem por vocês mesmo mais informação, tanta gente do CDS, PSD e mesmo do PS ou diretamente envolvida ou com conhecimento de atentados, e nunca houve justiça! O referido Ramiro Moreira por exemplo (expulso do PPD por Sá Carneiro quando soube dos atentados) pelos atentados terroristas que inclusive causaram mortes foi recompensado com um posição numa empresa espanhola e perdoado por Mário Soares anos depois (não exclusivamente, mas numa tentativa de pacificação), mas mesmo antes desse perdoar ele andava livremente por onde quisesse.

Até havia planos para porem bombas em Fátima para depois acusarem os comunistas de o fazerem, das poucas coisas que Ramiro se recusou a fazer.

submitted by /u/AntiAngloAntiZionism
[link] [comments]