Categories
Uncategorized

[Debate] Edução sobre drogas

Boas pessoal.

Hoje eu queria vir trazer um tema à discussão que tem muito que se lhe diga e gostava de ver dos mais novos aos mais velhos, dos mais inexperientes aos “viajados” uma opinião e uma discussão sobre este tema.

Falando sobre a política de drogas. Todos nós na nossa adolescência estamos fartos daquelas palestras da GNR sobre drogas. “Não experimentem”. “Acaba com a vossa vida”. “São viciantes.” Eram inúmeros os avisos, mas, as pessoas, ou os jovens, experimentam sempre. E é por isto que eu sou a favor de haver uma maior abertura para falar sobre drogas, em vez de condenarmos e proibirmos os jovens de experimentar, ensinar como experimentar, com quem experimentar, o que podemos fazer para reduzir os riscos, informar sobre o potencial aditivo sobre as drogas e promover uma “experimentação” saudável.

Falo por mim. Eu sou (ou era) um frequentador assíduo de pequenas raves, maioritariamente indoors. Como eu, vocês também viam, bastava irem a uma casa de banho de uma discoteca e encontram meia dúzia de pessoas, umas encostadas à parede quase a apagar, outras a refrescar a nuca e os braços, completamente estoirados.

E isto fez-me pensar em algo, os jovens, eu incluído, não sabem experimentar drogas. Normalmente o pessoal que fica na casa de banho todo queimado encostado às paredes o mais certo é ter papado umas pastilhas valentes, e isto leva a crer que não sabem experimentar. Eu falo na minha experiência, para mim, quando mando pastilhas, tento nunca abusar, mando sempre meia pastilha e tento encontrar aquele ponto de “trip” em que não é muito puxada ao ponto de me fazer ficar todo f`dido, ou demasiado fraco ao ponto de não sentir a moca. É só um exemplo.

Mas gostaria de focar noutra droga. A canábis (e seus derivados).

Os jovens de hoje em dia, com toda a certeza absoluta, e eu também já fui assim, não sabem sequer fumar. É sabido e mais que sabido, que o excesso de fumo deixa um gajo passivo, desmotivado, sem vontade para fazer nada e ao fim ao cabo “mata” a ambição que cada um tem. Eu já cheguei a fumar á vontade umas 10g de erva todos os dias, eventualmente tive uma paragem e notei a diferença em mim.

Hoje em dia, o máximo que fumo é uma ganza à noite, o mais certo é ver um filme e ir dormir ou então ir logo dormir. É a forma que eu encontrei de não deixar que a fumaça me prejudique na minha vida. Evito stresses com a bófia. Evito amizades duvidosas. E evito que as minhas responsabilidades diárias sejam afetadas. Eu lembro-me de andar na escola, fumar uma ganza de manhã, e não me apetecer fazer nada o resto do dia, e isto deu-me problemas como é óbvio.

O que eu quero dizer é isto. Existe uma falta de educação sobre drogas enorme. E quem foi um grande fumador sabe bem disso. A maioria dos jovens, como eu fui durante imenso tempo, prefere passar o dia a fumar do que estudar, fazer-se à vida, e falo principalmente dos fumos que é a droga mais consumida, se bem usada, pode ser fenomenal, mas com o consumo excessivo trás imensos problemas, não só nos pulmões mas na cabeça e que vai impactar o resto da vida.

Eu lembro-me quando fumava o dia inteiro, escola era um 0, não me interessava simplesmente, afastei imensas pessoas de mim e eu tenho bem noção de que eu era outra pessoa, mas só me apercebi disso quando reduzi imenso as quantidades que fumava.

Durante o dia não toco num charro, fumo sempre à noite, e mesmo assim sei que consumo mais do que devia. Pode parecer muito fixe olhar-mos para o nosso amigo que está sempre carregado com ganzas, que fuma o dia inteiro e até achar-mos que ele é que está bem, quando isso está longe de ser verdade. Eu também era assim, quando comecei a fumar olhava para outro pessoal que fumava muito e eu também queria ter mais ganzas para as fumar, mais tarde percebi o buraco onde me fui meter.

Ao fim ao cabo, eu concluo que o excesso de fumo NUNCA trás nada de bom.

Qual é a vossa opinião ?

submitted by /u/Tomorrow_Gloomy
[link] [comments]