Categories
Uncategorized

Desabafo e Ajuda. O que fazer com a minha vidinha?

Boa Noite Portugal.

Mês passado fiz 21 anos. Já sou adulto, dizem-me. Já devia ter acabado a minha licenciatura (Eng. Mecânica e roubo também) mas perdi-me pelo meio, reprovei no 2° ano e perdi a bolsa. Tinha imensas cadeiras por fazer e ter aulas em casa – COVID – foi muito difícil mas até acho que me safei. Ainda assim falta mais um ano, se me portar muito bem.

Contudo, vim saber por email da faculdade que os Pais não pagaram as propinas dos últimos meses do meu ano letivo. Quando perguntei se estava tudo bem, soube que já não podiam continuar a pagar o curso. Devido a estes pagamentos em atraso, não me deixaram inscrever este ano mas disseram-me que podia pagar até Dezembro e inscrevia-me nessa altura.

Entretanto, os Pais apesar de não conseguirem pagar renda nem propinas, decidiram abrir um negócio. Por um lado compreendo, somos mais que as mães e só uma pessoa tem um rendimento fixo (800€ para 6 pessoas). Mas isto quis dizer que os pais mandaram-me arranjar um trabalho para ajudar com o negócio, a renda e… as propinas.

Logo na primeira candidatura consegui arranjar um trabalho na Concentrix (Apoio técnico a pessoas do UK e Irlanda). Fiz um mês de formação (600€ + algumas Horas Extra) e já assinei o contrato (700€ + 120€ se for assíduo e pontual + 130 em subsídio de alimentação na forma de cartão de refeição), estou de momento na primeira semana de trabalho. Oh boy…. Que apocalipse mental que isto tem sido. Que trabalho de piça se me permitem, preferia empurrar bois pelo cu o dia todo. Estou cansado de ouvir a minha voz, sempre a repetir as mesmas coisas como um robô. Desde a formação que estou em auto-piloto, wake-work-eat-work-blank-blank-sleep and repeat. Não tenho tempo para nada e quando acabo o trabalho, é como disse, é um vazio completo na minha cabeça.

Sempre fui um gaio perdido e com constantes crises existenciais mas nunca estive tão perdido. À noite só me apetece desmaiar que nem uma dona de casa desesperada. Trabalho terrível, odeio o curso e tenho um sonho impossível – que não me sinto muito confortável para partilhar – e que não sei o que fazer com ele. Para que servem estas merdas honestamente? Sonhos? Que palavra mais paneleira, ainda por cima.

Dou por terminada a parte do desabafo… Queria agora ouvir os vossos conselhos e as vossas experiências. Dêem-me as vossas forças Charging Spirit Bomb.

Visto que no final deste mês recebo dois salários (o da formação e o deste mês), acham que me devia demitir ainda dentro do prazo experimental e voltar a estudar? É que trabalhar em call center e estudar engenharia mecânica à noite, não estou a ver como isso é possível.

Fico um ano neste inferno e fico mais um ano atrás de todos os meus amigos, adiar ainda mais acabar um curso que odeio?

A minha prioridade é sem dúvida acabar o curso, apesar de não ser grande amigo dele, é algo que tenho de acabar — por mim e pelos meus pais. Quero despachar o meu backup para poder tentar, NO MÍNIMO tentar, seguir o que realmente quero. Sei que para os meus pais também é prioridade acabar o curso – em 5 filhos não há nenhum licenciado, a minha mãe está louca por ter um filho que acabe o curso – mas sinto que se lhes disser que me vou demitir e pagar a faculdade vão ficar desapontados por não ajudar mais com o negócio.

E agora meus sábios conselheiros? Acham que estou só a ser uma putinha? De qualquer maneira, que acham devia fazer?

Muito Obrigado a Todos!

Edit: erros.

submitted by /u/LennonDraper
[link] [comments]