Categories
Uncategorized

Fui atropelada, e agora?

Antes de mais peço desculpa se este não é o local apropriado, no entanto não sei o que fazer.

No passado dia 20, terça, fui atropelada ao atravessar a passadeira a caminho da faculdade. A condutora tinha o vidro embaciado e não me viu. Felizmente não parti nada, tenho dores nas costas e no lado direito onde o carro me bateu. Ainda parti o para brisas com a minha cabeça e amolguei o capôt, como saí disto só com um arranhão no joelho não sei explicar. Estive esta quinta no hospital com dores nas costas mas já acalmaram.

Já apresentei a baixa no trabalho, informei o ocorrido aos meus professores na faculdade e apresentei as declarações na esquadra. O agente pouco ou nada me perguntou e insistiu em que eu reunisse todas as faturas pois “o seguro vai ter de pagar.”.

Em termos de danos corporais, como referi, “apenas” dores mas não consigo ficar numa posição durante muito tempo sem sentir a coluna a doer.

No dia do acidente estava a chover. Caí em cima da minha mochila e nela estava o meu portátil que uso para o trabalho e para a faculdade. O mesmo está lento e a lateral do ecrã abriu, preocupo-me que tenha danos de água pois a bolsa em que se encontrava estava ensopada no entanto liga e ainda consigo usá-lo. Rasguei a mochila e o meu telemóvel, um Samsung S8 que comprei por 700+ euros foi à vida: todo partido e o ecrã não funciona. Os meus óculos tem as hastes todas tortas e preciso deles pois não consigo ler ou ficar muito tempo no computador sem ter a vista cansada.

Ontem, ao regressar da esquadra aparece-me o perito da seguradora na porta de casa sem me informar préviamente e pediu para que apresentasse as coisas. Assinei dois papéis onde confirmam os meus dados e uma autorização para pedir a minha ficha médica no hospital. O senhor disse que tinha de reunir faturas e valores para procederem ao *arranjo* dos acima referidos.

Tenho pessoas informadas na minha família, sendo uma delas uma agente da PSP e todos dizem que o seguro tem de fazer a reposição pois o meu portátil, por exemplo, nem um ano tem. Logo, para não aceitar qualquer “reciclagem” das coisas pois quantas vezes já levámos coisas ao arranjo só para falharem de novo meses mais tarde.

O que deverei fazer? Estou sob um stress enorme e não paro de chorar. Ainda que com os meus professores prestáveis não posso ficar mais tempo em casa e decidi voltar à faculdade na segunda para não perder mais matéria. Tenho ataques de ansiedade e episódios de hiperventlação só de pensar que vou ter de esperar talvez meses para me substituirem o que preciso para fazer a minha vida. Sem o portátil a 100% não consigo fazer trabalhos a 100%, sem o telemóvel teria de estar fora de casa sem meios de me localizarem e sem os óculos a minha visão arrisca-se a piorar, o que significa que teria de pagar ainda mais por lentes novas caso for necessário.

Não quero ir a tribunal e nem apresentar queixa contra a senhora, a minha saúde mental não tem andado a mais estável e isto só veio piorar a minha situação. Alguém que me possa guiar?

Obrigada desde já.

submitted by /u/tsatavas
[link] [comments]